CIDADÃO BOM EXEMPLO: Ambientalistas denunciam matança de baleias em área protegida na Antártida

Atualizado em on 2 de julho de 2015 Pilar 3 Meio Ambiente
Esfera: Federal
Nome do Servidor Público: Sakihito Ozawa
Forma de Contratação: Indicado
Número de Votos: 328

Total de RNC's necessárias para exoneração: 33
Total de RNC: 2 (Quantidade de RNC pendente para se tornar uma petição: 31 )
Para cassar os direitos políticos dos servidores públicos 1º indicados, serão necessários 10% do número de votos validos de quem o indicou. Vale também para os 2º indicados e terceirizados.


RC 1
RNC 2

328 Este número corresponde o voto de deputados.

AVISO DE RNC:  Venho por meio desta carta lhe comunicar que foi aberto um (RNC) Registro de Não Conformidade, devido o seu comportamento não esta conforme seu ESTATUTO. Estatuto este que um dia jurou cumprir com fidelidade. Peço aos demais cidadãos comuns do Júri Popular Mundial, seu desligamento definitivo da condição de servidor (a) público (a). Este seu comportamento esta afetando de maneira negativa seus colegas de trabalho servidores do setor. Trazendo prestação de serviço de baixa qualidade, e transtorno para os seus contratantes clientes, eleitores e contribuintes. Te peço que da mesma forma, convença o mesmo júri a te apoiar assinando o (RC) Registro de Conformidade. Caso for primário no RNC, peça desculpas através de vídeo ao(s) cidadão(s) que foi (ram) destratado(s) por você, demonstrando arrependimento. Lembre este ato, ou seja, o seu pedido de desculpa fecha o RNC, mais não o inocenta do crime se for o caso, ficando a disposição do Ministério Público da esfera decidir. Porém se for reincidente prevalecera à decisão dos cidadãos comuns do Júri Popular Mundial assinantes. 

O autor deste RNC ou o Ministério Publico, poderá solicitá-la Juntamente com as assinaturas necessárias para conclusão do Registro de Não Conformidade. (folha de rosto).
O Japão teria violado uma regra internacional estabelecida em 1986 sobre a pesca comercial de baleias

Caça de baleias do Japão é “economicamente inviável”, diz relatório

O Fundo Internacional para o Bem-Estar Animal (International Fund for Animal Welfare, ou IFAW) publicou nesta terça-feira (5) um relatório sobre a atual situação do comércio de carne de baleia no Japão. Segundo o relatório, a indústria baleeira japonesa está à beira do colapso econômico, e só consegue sobreviver por conta do dinheiro de impostos dos contribuintes japoneses.

A caça de baleias está proibida desde o final da década de 1980, quando a Comissão Baleeira Internacional (CBI) aprovou uma moratória. No entanto, a moratória tem brechas. Países com produção tradicional de carne de baleia têm uma cota para a caça, e a moratória permite a chamada “caça científica” – o abate de baleias para a pesquisa. O Japão é acusado de utilizar a caça científica como pretexto para continuar a comercialização de carne de baleia.

Segundo o relatório, no entanto, a própria população japonesa já não tem tanto interesse pelo consumo de baleias. O estudo identificou que 88% dos japoneses não consumiram carne de baleia nos últimos doze meses, e mais da metade se mostra indiferente quanto ao consumo dessa carne. Além disso, 88,8% dos entrevistados são contra o uso de dinheiro do contribuinte para manter a indústria baleeira.

Segundo o relatório, no entanto, é exatamente isso que está acontecendo. A indústria baleeira só consegue operar porque recebe cerca de US$ 9,7 milhões em subsídios governamentais por ano. Mesmo com os subsídios, a caça de baleias opera em prejuízo. “Caçar baleias simplesmente não é viável economicamente”, diz o relatório. Para o IFAW, a solução é substituir a caça comercial pela prática de observação de baleias, uma atividade de turismo que já movimenta mais de US$ 1,5 bilhão por ano, em 90 países diferentes.

Confira o relatório na íntegra.

Fotos: Divulgação/IFAW

Carregar mais respostas